24 de abril - 2020

Ensino a distância: Como aderir a esta prática sem perder a qualidade

O ensino a distância tem sido pauta para muitas conversas sobre educação hoje em dia. Apesar de não ser nenhuma novidade, esta prática ganhou maior visibilidade por conta da impossibilidade de realização de aulas presenciais em todo o mundo. O novo coronavírus, também conhecido como COVID 19, tem mudado drasticamente a realidade e a rotina das pessoas. Além disso, a forma de ensinar e educar também foi afetada e influenciada por esta situação nova e inesperada. 

Antes da pandemia afetar as aulas presenciais, a discussão em torno do ensino a distância era sobre sua eficácia e qualidade, afinal, muitas eram as dúvidas e temores dos educadores que não estavam habituados com esta ideia. O que muita gente não sabe ainda é que existem diversas formas de realizar o EAD e o ensino a distância pode ser útil no atendimento de diferentes tipos de públicos.

Para embasar nosso artigo, entrevistamos a professora Juliana Carvalho, coordenadora do Departamento de Ensino a Distância das Faculdades Integradas Vianna Júnior, de Juiz de Fora. Para ela, é fundamental que os educadores conheçam e entendam as possibilidades do EAD:

“O que nós temos hoje, na prática, é a percepção de que as possibilidades do EAD são imensas, ultrapassam a questão das barreiras físicas, de deslocamento, isso porque nós temos à nossa disposição uma infinidade de recursos que podem promover o processo de ensino e aprendizagem e que, além disso, não se restringem, portanto, ao EAD, estão também à disposição do ensino presencial, conhecido também como ensino híbrido.”  Afirma Juliana Carvalho.

Qual seria o ideal de construção do processo de ensino e aprendizagem no ensino a distância?

Hoje, na sala de aula, o que se almeja no mundo educacional é um professor que possa não mais ser um detentor do conhecimento e da informação, mas sim um professor que possa ser um mediador entre o aluno e conhecimento que se quer construir. Por isso, este processo de ensino e aprendizagem no ensino a distância deve ser realizado baseado na troca, ou seja, na interação mútua entre aluno e professores. 

Desta forma, ainda que distante fisicamente, a aprendizagem será efetiva. De acordo com Juliana, podemos apostar nas ferramentas disponíveis online para que essa mediação seja possível e tal como ocorre na sala de aula, é preciso pensar em uma postura ativa dos dois lados, do professor e do aluno:

“Em geral, os recursos para comunicação no ensino a distância, eles vão se dividir entre o recursos no qual a comunicação ocorre de forma síncrona, a comunicação acontece no mesmo momento, em sincronia, como por exemplo as reuniões online ou chats, a troca é imediata, precisam estar todos conectados no mesmo instante, mas também temos recursos que vão permitir a comunicação de forma assíncrona, cada qual em momento distintos, como ocorrem em fóruns de discussão ou em outros recursos.” Ressalta Juliana Carvalho

Além disso, para que o processo de ensino e aprendizagem ocorra com eficiência, mesmo no ensino a distância, o professor deve estar atento a questões como:

  • Prazos
  • Disciplina
  • Planejamento
  • Plano de aula
  • Comunicação

Como manter a qualidade do ensino a distância?

Quando falamos em ensino a distância, a primeira coisa que vem à nossa mente é a precarização do ensino. Mas o que precisamos entender é que, para muitas pessoas, esta é a única forma possível de ter acesso à educação e, em tempos como o que estamos vivendo, devido à pandemia, estes recursos precisam ser usados de forma muito estratégica.

São muitos os recursos disponíveis para que o ensino a distância possa manter ou superar a qualidade do ensino presencial. É claro que um não irá excluir o outro, mas podemos aprender com cada recurso e usá-los de forma integrada. Para isso, você pode usar:

  • Livros digitais;
  • sites de criação de histórias;
  • softwares.

Esses recursos são usados como auxílio na Educação e podem ser aplicados, de forma favorável, em diferentes etapas escolares, como diz Juliana:

“E sobre esse tipo de trabalhos, esses tipos de recursos, têm alguns estudos que apontam o quanto o uso pode ser positivo na Educação Infantil.” Afirma a coordenadora.

Além disso, como ressaltamos em outros artigos, você também pode criar: 

  • listas de transmissão no WhatsApp;
  • grupos de e-mail; 
  • pastas no Google Drive;
  • grupos de WhatsApp.

E para que as aulas possam ser mais interativas, a SuperAutor recomenda:

  • fantasiar-se para contar uma história;
  • usar fantoches e diferentes vozes para dar aula;
  • criar um painel interativo de fundo para seus vídeos;
  • usar músicas que estão relacionadas aos assuntos das aulas;
  • ter sempre uma trilha sonora de fundo;
  • usar efeitos sonoros como: risadas, palmas, sons de animais etc.

Além de explorar todas essas técnicas para atrair a atenção dos alunos, o professor precisa ser objetivo e breve nas aulas a distância. Assim, os alunos irão prestar mais atenção e conseguir absorver bem mais os conteúdos transmitidos.

Separamos 3 dicas da professora Juliana Carvalho para te ajudar a aderir ao ensino a distância!

1-  Abra mão do controle 

A primeira concepção a ser vencida é a necessidade do “controle”. Na sala de aula presencial, em geral, o professor busca ter o “controle” da situação, seja da disciplina da turma, do aprendizado ou até mesmo do tempo. Pensar em uma atuação positiva no ensino a distância, começa por desfazer essa concepção de controle. 

Você tem, claro, mecanismos para participar e acompanhar o desenvolvimento da turma, inclusive o aprendizado, mas isso ocorre de formas muito diferentes do ensino presencial. Isso irá acontecer no acompanhamento das discussões, na análise das tarefas, quando são bem propostas, entre outras possibilidades.

2- Conheça as possibilidades do ensino a distância

Este é  o passo inicial de qualquer profissional que ingresse nessa área. Uma boa forma de começar a entender a fundo como funciona o ensino a distância é se tornar, em algum momento, aluno nestas condições. Por isso, inscreva-se em cursos, workshops e aulas online e sinta na pele o que um aluno de ensino a distância sente. Assim, você poderá identificar qualidades e necessidades de melhorias, para fazer um uso ainda melhor deste recurso. Além disso, você pode se especializar mais na área e buscar conversar com pessoas que têm uma maior experiência em EAD, para conseguir visualizar esta prática como um todo.

3- Tenha a tecnologia como sua maior aliada

A educação online já é defendida por pesquisadores há muito tempo e ela deve ser a maior aliada de educadores em situações como a que estamos vivendo. A pandemia nos colocou diante de um desafio que já estava batendo à nossa porta, mas que não estávamos dando tanto ouvido assim: a necessidade de nos adaptar à tecnologia, sem lutar contra ela. Por isso, use e abuse dos recursos tecnológicos e aprenda como usar estes recursos como ferramentas de um ensino que continuará sendo tradicional em questão de qualidade e conteúdo.

E aí, gostou deste artigo? Saiba mais sobre ensino a distância lendo outros artigos do nosso Blog! 

Por: Amanda Guimarães