14 de fevereiro - 2020

Educação socioemocional: Como trabalhar em sala de aula

Muito se fala sobre como explorar conteúdos e trabalhar atividades em sala de aula quando se trata de disciplinas comuns e que já fazem parte do currículo escolar. Mas uma questão pouco abordada pelos educadores e pelos cursos de capacitação para profissionais da educação é a educação socioemocional dos alunos. 

A educação socioemocional é um conjunto de práticas que tem como objetivo tornar os indivíduos, já na infância, aptos a desenvolver seu quociente emocional (QE). Isso tem a ver com a inteligência emocional necessária para o ser humano conviver em sociedade e saber lidar com as demandas, frustrações, emoções, conquistas e expectativas do dia a dia da melhor forma. 

É por meio desta capacitação que as crianças aprendem a lidar não só com suas próprias emoções, mas com as emoções dos outros também. Além disso, um indivíduo que recebe uma educação socioemocional desde a infância, tem uma maior facilidade em desenvolver relacionamentos saudáveis, trabalhar em grupo, ter autoliderança, falar em público, dentre outras habilidades importantíssimas para que ele exerça cidadania. 

A educação socioemocional busca desenvolver:

  • Empatia 
  • Felicidade
  • Autoestima
  • Ética
  • Paciência
  • Autoconhecimento
  • Confiança
  • Responsabilidade
  • Autonomia
  • Criatividade

Todas essas competências, quando desenvolvidas de forma eficiente, ajudam a criança a gerenciar as emoções, demonstrar empatia ao próximo em diversas situações e alcançar seus objetivos.

Qual é o papel da escola neste processo?

A escola é o primeiro ambiente social onde a criança tem contato com pessoas diferentes de seus pais e familiares. Antes de frequentar uma escola, todo o convívio da criança é com pessoas semelhantes, rotinas parecidas com a sua e formas de pensar e agir que não diferem muito do que ela está aprendendo dentro de casa com os pais. 

Por isso, o papel da escola não deve ser pensado apenas pelo lado acadêmico, mas sim pelo lado social. Dessa forma, a escola deve incentivar atividades e capacitações que incluam o desenvolvimento da inteligência emocional na criança. A educação socioemocional deve ser aplicada na escola assim como as demais disciplinas do currículo escolar. 

Quando uma escola aposta nesta iniciativa, ela demonstra um real comprometimento com a sociedade como um todo e acaba por contribuir para uma sociedade melhor. Assim, é essencial que isso seja levado em consideração na criação do projeto político pedagógico da escola.

Como os pais podem colaborar para a educação socioemocional em casa?

A rotina familiar pode ser muito rica em aprendizados para a criança. Quando se trata de educação socioemocional, os pais têm um leque de oportunidades para tratar este assunto em casa de forma lúdica, mostrando na prática para a criança como lidar em cada situação, adversa ou não, que lidamos diariamente. 

Por isso, é importante que os pais tenham isso em mente e busquem juntamente com a escola o desenvolvimento destas habilidades essenciais para o crescimento da criança. Além disso, proporcionar aos filhos situações em que eles possam conviver com diferentes grupos e pessoas é muito eficaz neste processo, pois não basta ensinar competências emocionais à criança e não criar oportunidades para que ela coloque tudo isso em prática.

Pensando nisso, separamos algumas atitudes que ajudarão os pais:

  • Impulsione o autoconhecimento
  • Incentive a autonomia da criança
  • Tenha autocontrole com a criança
  • Dê o exemplo e se expresse melhor
  • Seja empático com as situações ao seu redor

Dessa forma, a escola e a família ajudarão a trabalhar a educação socioemocional e proporcionará uma vida adulta muito mais sadia e equilibrada aos alunos. Gostou deste artigo? Compartilhe com alguém que seja apaixonado por educação!