20 de abril - 2020

Educação socioemocional: como lidar com crianças ansiosas

Desenvolver o quociente emocional dos indivíduos é tão importante quanto desenvolver áreas cognitivas, linguísticas e habilidades físicas. Quando falamos de Educação Infantil, estabelecer um processo de educação socioemocional sólido é ainda mais importante. Isso porque o desenvolvimento dessas habilidades permite ao ser humano um convívio melhor em sociedade. 

Na prática, a educação socioemocional visa trabalhar na pessoa a capacidade de lidar com os desafios diários da vida social e a lidar melhor com as suas próprias emoções. Além disso, entender e respeitar os sentimentos do outro é muito importante e almejado pela educação socioemocional. 

O desenvolvimento de relacionamentos interpessoais saudáveis e duradouros, a capacidade de auto liderança e trabalho em grupo e a facilidade para falar em público, são habilidades que a educação socioemocional busca desenvolver nos indivíduos e, na escola, essa educação gera muitos benefícios para as crianças. 

Além disso, os pontos trabalhados pela educação socioemocional são:

  • Autoconhecimento
  • Autorregulação 
  • Consciência social
  • Habilidades de relacionamento 
  • Tomada de decisão responsável 

Porque usar a educação socioemocional para lidar com crianças ansiosas?

Vivemos em um mundo que muda com muita rapidez, as pessoas se cobram o tempo todo e cobram umas às outras constantemente em busca de alcançar objetivos que, muitas vezes, sobrecarregam nossas mentes e nos deixam ansiosos. Mas diferente do que algumas pessoas pensam, a ansiedade não é um problema exclusivo dos adultos. As crianças também têm sido vítimas dessa doença silenciosa. 

De acordo com a revista Saúde: “Cerca de 10% dos pequenos sofre de algum transtorno ansioso, e cinco em cada dez passarão por algum episódio depressivo por causa dela. É necessário estar atento, também, à ansiedade que não chega a ser um transtorno, mas que traz sofrimentos e prejuízos cotidianos, como diminuição da autoestima”.

E é aí que a educação socioemocional deve entrar. Crianças que têm habilidades socioemocionais desenvolvidas, conseguem lidar com muito mais tranquilidade quando estão em situações de ansiedade e descontrole. Saber voltar ao equilíbrio é essencial e isso deve ser ensinado e praticado. 

Como identificar uma criança com Transtornos de Ansiedade com educação socioemocional?

Identificar sinais de ansiedade pode ser algo um pouco complicado, isso porque este transtorno, em muitos casos, não se manifesta de forma visível e até mesmo pode ser confundido com sintomas de doenças físicas. No ambiente escolar, cabe aos professores observar padrões de comportamento das crianças, manias e atipicidades que possam ocorrer ao longo do tempo em que a criança está aos cuidados dos educadores. 

Já em casa, esta observação deve ser constante, e para identificar transtornos de ansiedade em crianças, pais e professores devem prestar atenção se a criança:

  • Tem uma queda no desempenho escolar 
  • Começa a apresentar manias repetidas, como roer unha, por exemplo
  • Apresenta descontrole urinário 
  • Falta de apetite ou o excesso dele
  • Se sente sempre inseguro ou incapaz de realizar algo

Vale lembrar que não cabe ao pai nem ao professor diagnosticar a criança, mas sim observá-la e levá-la à um especialista para, enfim, ajudar a criança da forma que for preciso. Separamos algumas dicas para que você possa colocar em prática na hora de ajudar uma criança ansiosa usando a educação socioemocional!

1- Preste atenção aos sentimentos de seu filho

No dia a dia corrido da vida, é natural do ser humano prestar atenção somente em si próprio e dar valor apenas aos próprios sentimentos. Mas quando estamos lidando com crianças, é muito importante que os adultos saiam do automático e tenham sua atenção um pouco mais voltada à criança, a fim de ajudá-la da melhor maneira usando a educação socioemocional.

Então, preste atenção no que a criança está sentindo e não menospreze seus conflitos internos. Um simples ato de se colocar à disposição quando a criança está se sentindo mal, pode ajudar de diversas formas e até mesmo prevenir o desenvolvimento de uma crise de ansiedade.

2- Reconheça e elogie pequenas realizações 

Parte desta observação contínua da criança deve resultar na identificação de capacidades e habilidades da criança. É muito importante que o adulto esteja sempre atento às pequenas realizações para dar ainda mais força e coragem para a criança, afinal de contas, crianças ansiosas sofrem muito com a falta de autoaprovação e estão sempre inseguras a respeito de suas capacidades. 

Por isso, elogie, motive, mostre que você está sentindo orgulho dela e se ponha sempre disponível a ajudar, mas sem deixar que elas tentem sozinhas, promovendo sempre uma educação socioemocional. 

3- Ajude seu filho a enfrentar as situações que geram ansiedade

A ansiedade é uma doença que deve ser controlada por toda a vida. Por este motivo, ao invés de proteger a criança e fazer com que ela evite se colocar em situações de desconforto, você deve ajudá-la a enfrentar os medos e ansiedades. Nestas situações a melhor saída é encarar o problema de frente e, como não se pode solucionar de uma só vez, os pais precisam ajudar a criança a lidar com a ansiedade todos os dias. 

Gostou deste artigo? Continue acompanhando o blog SuperAutor para ler mais conteúdos como este!

Por: Amanda Guimarães