5 de julho - 2021

Educação domiciliar no Brasil: Como funciona esta prática?

A educação domiciliar no Brasil divide opiniões tanto na população em geral, quanto no Governo. O Homeschooling, como é conhecido no mundo todo, é uma prática pedagógica onde os pais assumem a educação dos filhos e a executam em casa, sem intermédio do Estado. 

Em mais de 60 países esta prática é permitida e regulamentada e, em alguns outros países, a educação domiciliar é proibida. A educação domiciliar tem sido cada vez mais popularizada e, nos Estados Unidos, por exemplo, mais de 2 milhões de americanos são educados em casa. 

Curiosidades a respeito da Educação domiciliar no Mundo:

  • Não necessariamente são os pais que aplicam a educação domiciliar;
  • As aulas podem ser ministradas por pais ou por professores particulares;
  • Não é necessário que os pais tenham formação em pedagogia ou áreas relacionadas;
  • Livros e materiais didáticos são usados como base para auxiliar a educação domiciliar;
  • Cada país pode estabelecer uma regulamentação específica de como esse ensino deve ser praticado;
  • É comum que o estudante seja submetido a testes de conhecimento realizados pelo Governo;
  • No Brasil a prática não é regulamentada.

Comparado ao resto do mundo, o Brasil se destaca por algumas questões sociais que tornam a regulamentação da educação domiciliar bastante polêmica. Os índices de analfabetismo são altos, a desigualdade social é muito marcante e o número de alunos que acabam saindo da escola para realizar atividades laborais, é enorme. Por isso, por aqui, governantes ainda não entraram em um acordo a respeito deste tema.

O que diz a lei brasileira a respeito da educação domiciliar?

Nos últimos anos, a educação domiciliar contou com três projetos na Câmara dos Deputados, que são o PL nº 3.179, o PL nº 10.185 e o PL nº 3.261. Mas essa discussão mostrou, pela maioria dos votos, que continua sendo imprescindível que família e Estado estejam juntos na formação educacional das crianças e adolescentes, de 4 a 17 anos. Isso é importante para garantir que a BNCC (Base Nacional Curricular Comum) seja assegurada. 

Educação Domiciliar no Governo atual

Dentre as metas prioritárias do Governo Bolsonaro, anunciadas em 2019, pelo Ministro da Casa Civil, Onyx Lorenzoni, a educação domiciliar foi uma das propostas do Ministério da Mulher, Família e Direitos Humanos. Isso dividiu opiniões, principalmente por não ser uma meta sob responsabilidade do Ministério da Educação. 

Além disso, diferente de um projeto de lei, hoje a educação domiciliar conta com uma medida provisória que está sendo desenvolvida, ou seja, após este período, ela poderá ser uma lei provisória válida durante 60 dias após sua promulgação, podendo ser prorrogada.

Prós e contras da educação domiciliar

Pais e educadores que defendem a educação domiciliar acreditam que este modelo de ensino permite maior liberdade educacional, uma educação livre de intervenções do Estado e a liberdade de horários e métodos de ensino. Dessa forma, o pai que quer promover a educação domiciliar, pode criar seu próprio sistema de ensino, apresentando o que considera relevante para a construção social do seu filho, de acordo com seus objetivos de aprendizagem.

Já os educadores que discordam desta prática, acreditam que o ambiente escolar vai muito além de um espaço de compartilhamento de conteúdos acadêmicos. A escola é um ambiente de trocas e experiências que promove maior contato dos alunos com diferentes realidades. Assim, a instituição escola promove sociabilidade, habilidades socioemocionais e diversidade cultural.

Como os pais podem auxiliar no processo de aprendizagem do filho em casa?

Já que no Brasil a educação domiciliar ainda não é uma realidade, os pais podem buscar outras formas de participar da educação dos filhos. A parceria entre famílias e escola é fundamental para que o processo de aprendizagem aconteça, por isso, não deixe de participar. Procure se envolver nas atividades escolares, ajudar seu filho em casa e promover atividades extracurriculares que potencializam a educação escolar.

Você já ouviu falar sobre o projeto SuperAutor em Casa? Este projeto ajuda a criança a desenvolver a criatividade, a autonomia, o protagonismo e o interesse pela leitura e pela escrita. Demais né? Neste projeto, a criança escreve e ilustra seu próprio livro de verdade e, os pais ajudam no passo a passo da construção das histórias. Tudo isso acontece de forma manual e digital, ou seja, depois de criados, os livros são enviados para a plataforma online da SuperAutor e confeccionados. Depois é só esperar a entrega dos livros do seu filho impressos em casa!

E aí, vamos participar? Compartilhe este artigo com seus amigos!

Comentários

  1. Como ensinar meu filho ser um autor ,estando em casa .
    Bem difícil ! As vezes falta paciência ,na pratica de ensinar.Muito estresse. As vezes sinto que elas não gostam de estudar em casa .

  2. O projeto de leitura é muito interessante, gostei bastante da proposta.
    Com o incentivo a leitura e a escrita para as crianças e participação da família amei…

  3. Muito difícil ensinar os filhos em casa a ser um autor . Poucos brasileiros que labutam no dia a dia podem gozar deste privilégio,não os que frequentam uma escola pública que são maioria neste país,,mas o trabalho de sala de aula sim, os professores alfabetizadores que acreditam nesta prática, fazem um belo trabalho nesta área. Já presenciei mostras fantásticas.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Artigos Relacionados

Quer ficar por dentro do nosso conteúdo?

Preencha os campos ao lado e assine a nossa newsletter



    Ao informar meus dados, eu concordo com a Política de Privacidade e com os Termos de Uso.