25 de março - 2020

Projeto pedagógico: Como usá-lo para aumentar a autonomia dos alunos

Os projetos pedagógicos são propostas criadas para otimizar e melhorar o rendimento escolar dos alunos por meio de atividades que integram toda a comunidade escolar. Muitas pessoas confundem um projeto pedagógico com um projeto político pedagógico, contudo, são coisas diferentes. O projeto político pedagógico de uma escola é um documento que contém as diretrizes da instituição, suas metodologias e formas de ensino e, ele rege todas as atividades que a escola realiza, inclusive os projetos pedagógicos.

Um bom projeto pedagógico deve estar de acordo com as diretrizes e valores do projeto político pedagógico e deve servir como uma ferramenta para melhorar o ensino escolar. Além disso, ele precisa engajar as famílias e trazê-las para o ambiente escolar, integrando toda a comunidade que envolve os alunos. 

Dessa forma, o projeto pedagógico precisa:

  • Envolver as famílias 
  • Motivar os alunos
  • Trazer inovação 
  • Sair da monotonia

Além disso, o projeto pedagógico precisa trazer autonomia para a criança. A sala de aula muitas vezes limita as crianças no que diz respeito à fazer as coisas por conta própria. Na maioria das vezes os alunos apenas reproduzem o que os professores estão fazendo e, quebrar esses vícios é muito importante para a educação infantil. 

É fundamental que a criança tenha autonomia no seu dia a dia. Por isso, o papel do professor é oferecer informações para que as crianças tomem suas decisões baseadas num repertório amplo de conhecimento, que é adquirido na escola. Não se trata de deixar a criança livre e desvalorizar os ensinamentos dos mais velhos, mas sim, de oferecer uma base sólida para que ela coloque em prática sua autonomia. 

Desenvolver a autonomia:

  • Gera proatividade na criança.
  • Aumenta a capacidade de resolução de problemas.
  • Cria pensamento crítico.
  • Traz independência emocional.
  • Constrói autoestima.

Como a autonomia pode ser aplicada em sala de aula?

Primeiramente, entender que cada criança tem o seu próprio tempo e ritmo de aprendizagem é fundamental. Por isso, crie atividades que estejam de acordo com a idade dos seus alunos e pense formas de avaliar o desenvolvimento de cada um individualmente. É importante estar atento e disposto à ajudar, para que a criança não crie uma frustração por conta de determinada atividade que ela não consegue executar. 

Além disso, estimular a autonomia da criança em sala de aula não diz respeito apenas à torná-la autônoma no estudo dos conteúdos educacionais previstos no plano de aula, mas diz respeito à um conjunto de práticas que, ainda que pareça que não tem a ver com a educação proposta pela escola, são importantes para a criação da autonomia como um todo, tornando o aluno muito mais preparado. 

Algumas dicas para o desenvolvimento da autonomia:

  • Deixe os alunos escolherem o que será lido.
  • Permita que eles criem e testem teorias, brincadeiras e atividades. 
  • Estimule a percepção dos sentimentos. 
  • Incentive o auxílio ao próximo, fazendo com que eles se sintam úteis.
  • Motive a produção de textos de interesses e temas propostos por eles.
  • Estimule debates em grupo.

E o mais importante: permita que eles errem. Você já deve ter ouvido muitas vezes a frase “errar é humano”, não é? Ela não é um clichê e essa é uma grande verdade e precisa ser sempre lembrada na educação infantil. Todo processo de aprendizagem precisa contar com o erro e não tratá-lo de maneira traumática. Precisa ser leve e encarado como parte do ensinamento. 

Conheça o projeto pedagógico que aumenta a autonomia dos alunos

Para aumentar a autonomia dos alunos e incentivar o interesse pela leitura, nada melhor do que transformar seus alunos em autores de suas próprias histórias. Você pode criar um projeto na sua escola com o intuito de fazer com que cada aluno escreva seu próprio livro ou ir em busca de projetos pedagógicos que auxiliem neste processo. Existem inúmeras formas de colocar isto em prática! O projeto SuperAutor,  por exemplo, é uma ótima ferramenta para quem quer incentivar a leitura e a escrita dos alunos

Para os estudantes que estão em processo de letramento, ele ajuda no desenvolvimento da alfabetização e incentiva o interesse pela leitura. Para os que já passaram dessa fase, o projeto auxilia no desenvolvimento da criatividade e da escrita e também promove um interesse maior pelo universo dos livros. Além disso, a escola não paga nada pelo projeto e pode utilizá-lo como complemento para as disciplinas. Imagina os alunos escrevendo livros sobre temas relacionados à ciência, história, ou artes… Incrível, não é mesmo?

E o resultado do projeto é visto no Super Evento de Autógrafos, realizado pela escola para que os alunos possam autografar os livros e receber o carinho e o prestígio da família!

Gostou das dicas? Coloque em prática e estimule a autonomia dos seus alunos!