25 de agosto - 2021

Inclusivismo: Saiba como reforçar o direito à educação inclusiva na escola!

O Inclusivismo é um termo que tem gerado debates na sociedade ultimamente. Ele está bastante ligado a algumas teorias religiosas e, nos últimos dias, ganhou referência no debate sobre a educação inclusiva nas escolas brasileiras. Entenda melhor aqui!

Nos últimos 25 anos o Brasil contou com o avanço de políticas que defendem a inclusão nas escolas. Esses avanços geram impactos positivos no rendimento escolar de todos os alunos, principalmente dos alunos com necessidades especiais. 

Uma pesquisa publicada em 2016 pelo Instituto Alana e ABT Associates, revelou que alunos especiais incluídos em ambientes escolares, são mais aptos a concluir o ensino médio do que os alunos não incluídos. 

Leia também: Neurodiversidade: Qual a importância de estimular na escola

Além disso, o estudo mostrou que os alunos especiais incluídos têm mais chances de:

  • Ingressar no ensino superior;
  • Conseguir emprego na vida adulta;
  • Ter uma rotina mais independente.

E os benefícios não param por aí. Uma escola que reforça o direito à educação inclusiva, ou ao inclusivismo, tem alunos muito mais preparados para as demandas sociais. Os alunos de forma geral aprendem:

  • A lidar com as diferenças;
  • Ter consciência a respeito dos direitos do outro;
  • Quebrar paradigmas e preconceitos estruturais;

Autismo na escola: 4 dicas para promover a inclusão

Quais são as diferenças entre educação especial e educação inclusiva?

O inclusivismo na perspectiva da educação inclusiva busca promover a inclusão, não só educacional, mas social dos indivíduos com necessidades educacionais especiais. Já a educação especial tem como objetivo apenas promover o desenvolvimento das habilidades dos indivíduos. Ou seja, as diferenças estão presentes justamente na forma como a educação é conduzida na escola.

Na educação especial, os alunos são segregados durante o processo educacional e, na educação inclusiva, os alunos são parte da comunidade escolar. Ou seja, frequentam as mesmas salas de aulas dos demais alunos e participam das mesmas atividades, com auxílio especial.

Leia também: Saiba como trabalhar a educação especial no modelo de ensino híbrido

Os principais desafios do inclusivismo são:

  • Preconceito estrutural
  • Falta de informação
  • Pouco relacionamento entre família e escola
  • Quantidade insuficiente de verba destinada 
  • Baixo número de profissionais qualificados

Inclusivismo na escola: Como podemos reforçar esse direito?

No Brasil, o inclusivismo na escola é garantido pela Lei Brasileira de Inclusão da Pessoa com Deficiência e na Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional. A Lei Brasileira de Inclusão é uma das mais completas, mas ainda assim, o processo de inclusão é lento no país. Isso acontece por conta da falta de recursos financeiros para que as leis sejam colocadas em prática e, principalmente, pela falta de conscientização a respeito da importância do tema. 

É importante reforçar na escola os direitos assegurados pela lei, dentre eles:

  • Condições de igualdade
  • Material adaptado
  • Ensino em Braille e Libras 
  • Profissional de apoio escolar

Como realizar o projeto pedagógico SuperAutor com alunos de educação especial

Separamos 4 formas de reforçar o direito ao inclusivismo na sua escola!

1- Insira a educação inclusiva no PPP da escola

É muito importante que a escola tenha a educação inclusiva como base do projeto político pedagógico. O planejamento para aplicação do inclusivismo não deve acontecer de forma improvisada, mas sim, de forma prioritária. Dessa forma a gestão escolar irá reforçar a importância do direito à educação inclusiva na escola, deixando claro seu compromisso com os alunos.

2- Qualificação profissional para educação especial

Ainda que o cenário profissional não seja favorável e que a oferta de mão de obra especializada para promover a educação inclusiva seja menor, a escola não deve se acomodar. É importante oferecer qualificação profissional ao corpo docente da instituição a respeito de técnicas e metodologias voltadas ao inclusivismo. Quando a escola promove ações como essas, reforça seu comprometimento com a inclusão e faz a diferença no meio social em que está inserida.

Isso pode ser feito de diversas formas, inclusive de forma gratuita. Existem muitos cursos e conteúdos gratuitos disponíveis de forma online, para que a escola possa oferecer aos seus profissionais. Além disso, uma ótima forma de promover capacitação é convidar pessoas que já possuem experiência no assunto, para oferecer oficinas aos professores. Dessa forma, todos se ajudam e podem chegar a um nível maior.

3- Encontros periódicos com pais para discutir o tema

Não deixe os pais de fora do planejamento da educação inclusiva na sua escola. Eles são as pessoas que mais poderão fornecer informações relevantes sobre seus filhos e o dia a dia deles. Por isso, junte-se com sua equipe pedagógica e promova encontros periódicos com os pais de todos os alunos. Assim, a conversa será mais ampla, possibilitará uma boa troca de experiências e, assim, a escola poderá montar planos de ação que façam sentido para sua realidade.

4- Treinamento especializado para toda a comunidade escolar

Não são só os professores que lidam com os alunos com necessidades especiais na escola. Por isso, é importante capacitar toda a equipe, incluindo profissionais de apoio e serviços gerais. Uma escola inclusiva promove inclusivismo desde a portaria, até as atividades extracurriculares. Ou seja, as áreas pedagógica e administrativa precisam estar alinhadas nesse sentido.

E aí, o que você acha sobre este tema? Conte aqui nos comentários como você promove o inclusivismo na sua escola!

Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Artigos Relacionados

Quer ficar por dentro do nosso conteúdo?

Preencha os campos ao lado e assine a nossa newsletter



    Ao informar meus dados, eu concordo com a Política de Privacidade e com os Termos de Uso.